Economia GIG: o que é e como se adequar a ela

O que é a economia GIG? Ter um emprego geralmente consiste em se deslocar diariamente a uma empresa, cumprir o expediente e voltar para casa. É o tradicional modelo de trabalho praticado em quase todo o mundo, mas não é o único. Aliás, esse modelo pode até já estar ultrapassado. O mercado profissional está mudando rapidamente, o que pode ser visto como uma reação às novas tecnologias e ao que está sendo chamado de uma Quarta Revolução Industrial.

Existe uma tendência de flexibilização das profissões e de mais autonomia aos trabalhadores. Somente em 2018, o número de profissionais independentes, os freelancers, cresceu 80%, segundo levantamento feito pela plataforma Workana. Essa nova forma de encarar o mercado de trabalho é conhecida como economia GIG (ou GIG economy, no inglês).

O QUE É A ECONOMIA GIG?

“Gig”, do inglês, é um trabalho de curta duração e muitas vezes informal. A economia GIG é um sistema de livre mercado no qual são comuns trabalhos temporários e contratos curtos com profissionais autônomos. É o mercado de trabalho freelancer, com trabalhadores não vinculados a empresas prestando serviços de forma remota.

A internet é uma das grandes aliadas da expansão da economia GIG, principalmente porque possibilita aos profissionais encontrar serviços. Aplicativos como o Uber, o Airbnb e o Glovo são exemplos consolidados de companhias que se baseiam na economia freelance.

QUAL É O IMPACTO DA ECONOMIA GIG NAS FORMAS DE TRABALHO?

A primeira mudança trazida pela economia GIG é na relação entre contratante e profissional. O aumento no número de freelancers impacta diretamente nos contratos de trabalho, sendo menos comum que empresas procurem por profissionais para serviços a longo prazo.

Já para os trabalhadores autônomos, a economia GIG significa uma valorização desse modelo de trabalho, com mais direitos e oportunidades aos freelancers. Além disso, o profissional tem mais flexibilidade para fazer seus próprios horários e construir a carreira da forma que desejar.

A ECONOMIA GIG É MELHOR QUE O FORMATO TRADICIONAL?

Idealmente, a economia GIG prevê benefícios tanto para o empregador quanto para o profissional. As empresas gastam menos recursos em treinamento, espaço e benefícios, e ainda podem contratar especialistas somente para projetos específicos, sem a necessidade de manter profissionais altamente qualificados.

A economia GIG também possibilitaria aos profissionais trabalhar somente em empregos que os interesse. Mas nem sempre é assim, já que muitos trabalhadores se tornam freelancers pela falta de vagas formais de emprego, o que não quer dizer que não existem mercado e oportunidades para que profissionais independentes cresçam. Pelo contrário, com o aumento dos freelancers, a tendência é que os trabalhadores autônomos consigam ainda mais espaço.

COMO SE ADEQUAR?

Tendo ou não um emprego formal, sendo um empregado ou um empregador, todos estamos inseridos na economia GIG. Para as empresas, o ideal é entender que esse modelo pode ser vantajoso e não só financeiramente, já que possibilita diferentes visões sobre os negócios da companhia.

Para os profissionais, o principal objetivo deve ser se atualizar. Um dos pilares da economia GIG são os empregos de curta duração, e isso pode afetar mesmo quem já possui uma carreira consolidada. Realizar cursos de pós-graduação, por exemplo, é uma ótima alternativa para manter o currículo e seus conhecimentos atualizados. Cursos online podem ser a melhor opção para freelancers, já que permitem uma maior flexibilidade e o aluno pode continuar suas atividades profissionais enquanto estuda.

A Integralize Online oferece cursos de pós-graduação stricto sensu (mestrados, doutorados e até pós-doutorados) que são a alternativa perfeita para os profissionais se atualizarem em meio as transformações da economia GIG. Os cursos realizados na plataforma online são oferecidos por universidades de todo o mundo. Além disso, o sistema de integralização de créditos possibilita que os alunos concluam mestrados e doutorados em muito menos tempo. Tudo sem precisar pagar mensalidades, já que a Integralize.Online dá bolsas de 100% de desconto para os estudantes. Clique aqui e saiba mais sobre os cursos da Integralize Online.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *